quarta-feira, outubro 18, 2017

Canaletto nasceu há 320 anos

Canaletto (Veneza, 18 de outubro de 1697 - Veneza, 19 de abril de 1768), de seu verdadeiro nome Giovanni Antonio Canal, foi um artista famoso pelas suas paisagens urbanas de Veneza. Era filho do pintor Bernardo Canal, daí o nome Canaletto. Em 1746 mudou-se para Londres, onde se dedicou a pintar paisagens inglesas.
Canaletto, juntamente com Giovanni Battista Tiepolo, Giovanni Battista Piazzetta, Giovanni Battista Pittoni, Giuseppe Maria Crespi e Francesco Guardi, constituem o grupo de mestres desse período de pintores.
Também se conhece como Canaletto o pintor Bernardo Bellotto, seu sobrinho.


O Alasca mudou de dono há 150 anos

O Alasca, à esquerda, em vermelho, com a sua localização na América do Norte

Em 1867, os Estados Unidos da América compraram o território do Alasca ao Império Russo. A operação foi conduzida pelo Secretário de Estado norte-americano William Henry Seward.
À época, a transação foi considerada absurda e era referida como "a loucura de Seward" (William H. Seward's folly). O território comprado, com área aproximada de 1.600.000 km² constitui o atual estado norte-americano do Alasca.

O Império Russo estava em dificuldades financeiras e em vias de perder o território do Alasca sem compensação em algum futuro conflito, sobretudo para o rival da época, o Império Britânico, que detinha o vizinho Canadá e cuja possante Royal Navy poderia facilmente tomar o controle da costa, de defesa difícil para a Rússia. O Czar Alexandre II decidiu então vender o território aos Estados Unidos e encarregou o seu embaixador, o barão Edouard de Stoeckl, de abrir negociações com o Secretário de Estado William Seward, de quem era amigo, no início de março de 1867.
As negociações concluíram-se após discussões que duraram uma noite inteira e a assinatura do tratado foi feita às 4 horas da manhã de 30 de março com um preço de compra de 7.200.000 dólares americanos. A opinião pública americana foi muitíssimo desfavorável a esta compra.
O Senado dos Estados Unidos da América ratificou o tratado a 9 de abril de 1867, por 37 votos a favor e 2 contra.
Estima-se que o Alasca contava na altura com 2.500 russos ou mestiços e 8.000 aborígenes, no total mais de 10 000 habitantes, sob o comando direto da companhia russa das peles, e cerca de 50.000 esquimós viviam sob essa jurisdição.
Os europeus viviam em 23 povoações sitas nas ilhas ou na costa. Em pequenos postos, havia quatro ou cinco russos que se encarregavam da compra e armazenamento de peles trazidas pelos nativos e do reabastecimento de navios que vinham buscar a mercadoria. Havia duas vilas principais. A primeira, New Archangel, atualmente Sitka, foi fundada em 1804, como base de apoio ao rentável negócio de peles de leão marinho. Tinha cerca de 116 barracões que abrigavam 968 habitantes. A segunda era Saint-Paul, na ilha Kodiak, que, com 100 barracões e 283 habitantes, era o centro da indústria de peles de foca.
O nome aleúte Alasca foi escolhido pelos americanos. A cerimónia de transferência teve lugar em Sitka, em 18 de outubro de 1867. Soldados russos e americanos desfilaram junto à casa do governador; a bandeira russa foi arriada e a americana hasteada e saudada por salvas de artilharia. O capitão Alexis Pestchouroff disse "General Rousseau, pela autoridade de sua Majestade, o Imperador da Rússia, transfiro aos Estados Unidos da América o território do Alasca". Em retribuição, o general Lovell Rousseau aceitou o território. Numerosos fortes e fortins, construções de madeira, foram cedidos aos americanos. As tropas ocuparam as casernas e o general Jefferson C. Davis estabeleceu a sua residência na casa do governador. A maior parte dos russos voltou ao seu país, salvo alguns comerciantes e homens do clero.
O Alaska Day celebra a transferência formal do Alasca, que ocorreu a 18 de outubro de 1867. Hoje em dia, o Alasca celebra o dia da compra, o Seward's Day, na última segunda de março.
A data de 18 de outubro de 1867 é do calendário gregoriano, e a hora, 9:01:20, hora de Greenwich, teve efeito no dia seguinte no Alasca para substituir o calendário juliano e a hora de 14:58:40 "de avanço" sobre a hora de Greenwich. Para os russos, a transferência teve lugar a 7 de outubro de 1867.

Cheque utilizado pelo governo dos Estados Unidos para a compra do Alasca

terça-feira, outubro 17, 2017

Chiquinha Gonzaga nasceu há 170 anos

Francisca Edwiges Neves Gonzaga, mais conhecida como Chiquinha Gonzaga (Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1847 - 28 de fevereiro de 1935) foi uma compositora, pianista e maestrina brasileira.
Foi a primeira chorona, primeira pianista de choro, autora da primeira marcha carnavalesca com letra ("Ó Abre Alas", 1899) e também a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil. No Passeio Público do Rio de Janeiro, há uma herma em sua homenagem, obra do escultor Honório Peçanha. Em maio de 2012 foi sancionada a Lei 12.624 que instituiu o Dia Nacional da Música Popular Brasileira, a ser comemorado no dia do seu aniversário.

Sylvia Kristel morreu há cinco anos

Sylvia Kristel (Utrecht, 28 de setembro de 1952 - Amesterdão, 17 de outubro de 2012) foi uma atriz, diretora e modelo holandesa, mais conhecida pelo filme erótico Emmanuelle.

René Dif, um dos vocalista dos Aqua

René Dif (17 de outubro de 1967, Copenhaga) é um músico e ator dinamarquês, mais conhecido como a voz masculina da banda de pop e dance Aqua.
 
 

Eminem - 45 anos

Eminem, nome artístico de Marshall Bruce Mathers III (St. Joseph, 17 de outubro de 1972), é um rapper, compositor, produtor musical e ator norte-americano. Adquiriu rápida popularidade em 1999, com o lançamento do disco The Slim Shady LP, o qual venceu o Grammy Award de Melhor Álbum de Rap do ano. O seu trabalho seguinte, The Marshall Mathers LP, tornou-se o álbum a solo mais vendido na história dos Estados Unidos. Tal facto tornou-o conhecido no mundo inteiro e ajudou na divulgação da sua gravadora, a Shady Records, e do seu grupo, o D12.


Tarkan faz hoje 45 anos

Tarkan Tevetoğlu (Alzey, 17 de outubro de 1972) é um cantor pop turco nascido na Alemanha. Suas canções mais conhecidas são "Şımarık" e "Şıkıdım".
Um dos grandes ídolos da música pop turca, faz também um grande sucesso internacionalmente, tendo aberto o mercado para um tipo de música que não era tocada na Turquia. As suas canções fazem uma mescla de estilos do oriente e ocidente com um fundo pop.
Tarkan ficou conhecido por usar temas sexuais e românticos nos seus trabalhos e tem sido apelidado de "Príncipe do Pop" pelos meios de comunicação da Europa. Ele lançou vários álbuns durante a sua carreira, com um número estimado de 29 milhões de álbuns e singles vendidos. Uma caracteristica interessante é que Tarkan costuma sempre inovar na sua aparência, usando roupas ousadas e cortes de cabelo exóticos.


segunda-feira, outubro 16, 2017

Adriano morreu, nos braços de sua mãe, fez hoje 35 anos...

(imagem daqui)

Adriano Maria Correia Gomes de Oliveira (Avintes, 9 de abril de 1942 - Avintes, 16 de outubro de 1982), foi um músico português.
 
(...)
 
Cresceu no seio de uma família tradicionalista católica. Concluído o ensino liceal no Porto foi para Coimbra em 1959, estudando Direito. Foi repúblico na Real Repúbica Ras-Teparta, solista no Orfeon Académico de Coimbra, fez parte do Grupo Universitário de Danças e Cantares e do Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra e tocou guitarra no Conjunto Ligeiro da Tuna Académica de Coimbra.
Militante do Partido Comunista Português, a partir da década de 1960, envolveu-se nas greves académicas de 1962 e concorreu à Direcção da Associação Académica de Coimbra, numa lista apoiada pelo Movimento de Unidade Democrática (MUD).
Em 1963 editava o primeiro EP, acompanhado por António Portugal e Rui Pato, "Fados de Coimbra", que continha "Trova do vento que passa", balada fundamental da sua carreira, com poema de Manuel Alegre, transformado numa espécie de hino do movimento estudantil de contestação ao regime.
Em 1967 gravou o álbum "Adriano Correia de Oliveira", que entre outras canções tinha Canção com lágrimas.
Quando lhe faltava uma disciplina para terminar o curso de Direito, trocou Coimbra por Lisboa, trabalhando no Gabinete de Imprensa da Feira Industrial de Lisboa e como produtor da Editora Orfeu. Em 1969 editou "O Canto e as Armas" tendo todas as canções poesia de Manuel Alegre. Nesse mesmo ano ganhou o Prémio Pozal Domingues.
Após o fim do serviço militar lança, em 1970, o álbum "Cantaremos".
Em 1971 é editado o disco "Gente d'Aqui e de Agora", que marca o primeiro arranjo, como maestro, do ainda jovem José Calvário, que tinha vinte anos. José Niza foi o principal compositor neste disco que precedeu um silêncio de quatro anos, recusando-se Adriano a enviar os textos à Censura.
Em 1973 é editado o disco "Fados de Coimbra". Com Carlos Vargas funda a editora Edicta.
Em 1975 lançou "Que Nunca Mais", com direcção musical de Fausto e textos de Manuel da Fonseca. Este álbum levou a revista inglesa Music Week a elegê-lo como Artista do Ano.
Foi um dos fundadores da Cooperativa Cantabril. Publicou o seu último álbum, "Cantigas Portuguesas", em 1980. No ano seguinte, numa altura em que a sua saúde já se encontrava degradada, rompeu com a direcção da CantAbril e ingressou na Cooperativa Era Nova.
Em 1982, com quarenta anos, num sábado, dia 16 de outubro, morreu em Avintes, nos braços da mãe, vitimado por uma hemorragia esofágica.
 

Flea, baixo dos Red Hot Chili Peppers, faz hoje 55 anos

Michael Peter Balzary (Melbourne, 16 de outubro de 1962), mais conhecido pelo nome artístico de Flea, é um baixista australiano. Flea, que também toca o trompete e ocasionalmente trabalha como ator, é mais conhecido como baixista, co-fundador e um dos compositores da banda de rock alternativo Red Hot Chili Peppers. Flea também é o co-fundador da Silverlake Conservatory of Music, uma organização sem fins lucrativos de educação musical fundada em 2001.
Originalmente um prodígio do trompete, Flea aprendeu a tocar baixo na escola secundária, com o seu amigo íntimo (e futuro guitarrista do Red Hot Chili Peppers) Hillel Slovak, que precisava de um baixista para sua banda Anthym. Flea passou a integrar o grupo, porém abandonou-o alguns meses depois para tocar na banda de punk Fear. Logo juntou-se novamente a Slovak para formar uma banda destinada a apenas uma apresentação, com seus colegas de escola Anthony Kiedis e Jack Irons; a colaboração inesperada acabaria dando origem aos Red Hot Chili Peppers.
Altamente considerado como um dos melhores baixistas de todos os tempos, o seu trabalho com a banda incorporou diversos estilos musicais, e abrange, tecnicamente, desde o slap mais agressivo a métodos mais melódicos. Tem influências do funk e da música punk rock, seu estilo é primordialmente centrado na simplicidade e no minimalismo, não dispensa a complexidade como um recurso a ser utilizado quando necessário. Além dos Chili Peppers, Flea colaborou com diversos outros artistas, incluindo o Jane's Addiction, The Mars Volta e Alanis Morissette e mais recentemente, Rocket Juice and The Moon. Em abril de 2011, a revista Rolling Stone fez uma lista dos 10 melhores baixistas de todos os tempos, com Flea em segundo.
Como ator, Flea fez diversas incursões no cinema, aparecendo em filmes como Back to the Future II (Regresso ao Futuro II, 1989), My Own Private Idaho (A Caminho de Idaho, 1991), e The Big Lebowski (O Grande Lebowski, 1998).
Juntamente com os seus companheiros de banda, antigos e atuais, Flea foi introduzido no Hall da Fama do Rock a 14 de abril de 2012.


A Crise dos mísseis de Cuba começou há 55 anos

Vista aérea mostrando base de lançamento de mísseis em Cuba, novembro de 1962

A Crise dos mísseis de Cuba, também conhecida como a Crise de Outubro (em espanhol: Crisis de Octubre), Crise do Caribe (em russo: Карибский кризис) foi um confronto de 13 dias (16-28 outubro de 1962) entre os Estados Unidos e a União Soviética relacionado com a implantação de mísseis balísticos soviéticos em Cuba. Além de ter sido televisionada em todo o mundo, foi o mais próximo que se chegou do início de uma guerra nuclear em grande escala durante a Guerra Fria.
Em resposta à fracassada Invasão da Baía dos Porcos de 1961 e à presença de mísseis balísticos norte-americanos PGM-19 Jupiter estacionados na Itália e na Turquia, o líder soviético Nikita Khrushchev decidiu aceitar o pedido de Cuba para colocar mísseis nucleares em seu território para deter uma futura invasão dos estados Unidos. Um acordo foi alcançado durante uma reunião secreta entre Kruchev e Fidel Castro em julho e a construção de uma série de instalações de lançamento de mísseis começou depois do verão.
Uma eleição estava em curso nos Estados Unidos. A Casa Branca negou as acusações de que estava ignorando os mísseis soviéticos a 145 quilómetros do litoral da Flórida. A instalação dos mísseis foi confirmada quando um avião espião Lockheed U-2 da Força Aérea dos Estados Unidos obteve provas fotográficas claras de instalações de mísseis balísticos R-12 Dvina e R-14 Chusovaya. Os Estados Unidos estabeleceram um bloqueio militar para evitar que novos mísseis entrassem em Cuba e anunciou que não permitiria que armas ofensivas fossem entregues a Cuba, além de ter exigido que as armas já entregues fossem desmontadas e levadas de volta para a URSS.
Depois de um longo período de tensas negociações, foi alcançado um acordo entre Kennedy e Kruschev. Publicamente, os soviéticos desmantelaram as suas armas em Cuba e levaram-nas para a União Soviética, sob reserva de verificação das Nações Unidas, em troca de uma declaração pública dos Estados Unidos de nunca invadir Cuba sem provocação direta. Secretamente, os Estados Unidos também concordaram que iriam desmantelar toda a rede de mísseis Júpiter que foi implantada na Turquia e Itália contra a União Soviética, mas que não era conhecida pelo público.
Todos os mísseis ofensivos e bombardeiros Ilyushin Il-28 foram retirados de Cuba e o bloqueio foi formalmente encerrado, em 20 de novembro de 1962. As negociações entre os Estados Unidos e a União Soviética destacaram a necessidade de uma rápida, clara e direta linha de comunicação entre Washington, DC e Moscovo. Uma série de acordos reduziu drasticamente as tensões USA-URSS durante os anos seguintes.


John Mayer - 40 anos

John Clayton Mayer (Fairfield, Connecticut, 16 de outubro de 1977) é um cantor, compositor e produtor musical norte-americano, que estudou na Berklee College of Music antes de se mudar para Atlanta, Geórgia em 1997. Os seus dois primeiros álbuns de estúdio, Room for Squares e Heavier Things, obtiveram sucesso comercial, atingindo multi-platina nos E.U.A. Em 2003 ganhou o prémio de Melhor Performance Vocal Pop Masculina nos Grammy Awards para "Your Body Is A Wonderland".
Mayer começou a sua carreira tocando rock, principalmente acústico, mas, aos poucos, começou uma transição para os blues em 2005, colaborando com artistas de renome como B.B. King, Buddy Guy e Eric Clapton, e acabou por formar o John Mayer Trio. A influência dos blues pode ser ouvido no seu álbum Continuum, lançado em setembro de 2006. No 49th Annual Grammy Awards, em 2007, Mayer ganhou o prémio de Melhor Álbum Pop Vocal para Continuum e Melhor Performance Vocal Pop Masculina por "Waiting On The World To Change".


domingo, outubro 15, 2017

Mata Hari foi executada há um século

Margaretha Gertruida Zelle (Leeuwarden, 7 de agosto de 1876 - Vincennes, 15 de outubro de 1917), conhecida mundialmente como Mata Hari, foi uma dançarina exótica dos Países Baixos acusada de espionagem e que foi condenada à morte por fuzilamento, durante a Primeira Guerra Mundial. Em diferentes ocasiões sua vida foi alvo da curiosidade de biógrafos, romancistas e cineastas. Ao longo do tempo, Mata Hari transformou-se em uma espécie de símbolo da ousadia feminina.

(...)

Participação na Primeira Guerra
Durante a guerra, Mata Hari dormiu com inúmeros oficiais, tanto franceses quanto alemães e tornou-se um peão da intriga internacional, apesar dos historiadores nunca terem esclarecido com clareza se ela fora realmente uma espia, e se sim, quais eram as suas atividades como tal. Em 1917 ela foi a julgamento na França, acusada de atuar como espia e também como agente dupla para a Alemanha e França. Foi considerada culpada e no dia 15 de outubro do mesmo ano foi fuzilada.

Execução
Existem vários rumores em torno de sua execução. Um dos mais fantasiosos diz que os soldados do pelotão de fuzilamento tiveram de ser vendados, para não sucumbir a seu charme. Outra história cita que Mata Hari atirou um beijo aos seus executores antes que começassem a disparar. Uma terceira versão diz que ela não só atirou um beijo, mas também abriu a túnica que vestia e morreu expondo o corpo, completamente nu.

sábado, outubro 14, 2017

Roger Moore nasceu há noventa anos

Sir Roger George Moore (Londres, 14 de outubro de 1927 - Crans-Montana, 23 de maio de 2017) foi um ator britânico, célebre por interpretar o agente secreto britânico James Bond por sete vezes no cinema. Foi, desde 1991 até à sua morte, embaixador do UNICEF, e, pelas suas ações humanitárias, foi condecorado, em 1999, como Cavaleiro do Império Britânico.

Bond, James Bond (007)
Devido às atuações em séries televisivas nos anos 60, como The Saint (1962-1969) e The Persuaders (1971-1972), o ator já tinha a preferência do produtor Harry Saltzman que finalmente o convidou para suceder a Sean Connery no papel de James Bond em 1973, no filme Live And Let Die. Com a sua destacada atuação, banda sonora e a homónima canção tema de Paul McCartney e dos Wings, o filme fez grande sucesso. Roger Moore então foi contratado em definitivo pelos produtores da série para encarnar o papel do agente secreto após Sean Connery.
Roger Moore foi marcante, pois, num papel de ação, trouxe à série um tom mais leve, irónico e humorístico, com observações de humor negro sobre os vilões que enfrentava. Embora, por isso mesmo, algumas das suas interpretações ficassem mais marcadas pelos exageros dos anos 70, como em Moonraker ou The Man with the Golden Gun. No final da sua participação na série Bond, regressou a horizontes mais sóbrios e ponderados como em Octopussy.
Em termos gerais, o humor sarcástico, a ironia e a pose elegante marcaram a sua versão de Bond, que foi um grande sucesso de bilheteira. Após sete filmes da franquia, Moore abandonou o papel, aos 58 anos, em 1985, com A View to a Kill, tornando-se um dos atores mais velhos a interpretar James Bond e o ator a encenar mais tempo o agente do serviço secreto de Sua Majestade, durante doze anos.
Antes e além de 007, Moore ficou famoso também com o papel de Simon Templar na série de televisão britânica O Santo, entre 1962 e 1969, e como Brett Sinclair, em The Persuaders! (1971-72), fazendo dupla com Tony Curtis, série da TV norte-americana exibida mundialmente no início dos anos 70.

UNICEF
Nos últimos anos de vida, Moore dedicava-se mais à sua carreira de embaixador do UNICEF, usando a fama adquirida durante todos os seus anos de carreira para ajudar de alguma forma aqueles que necessitam. Esta faceta surgiu na sua vida depois do contato que teve, em 1983, durante as filmagens de 007 contra Octopussy, com a extrema pobreza da população indiana.

Morte
Em 23 de maio de 2017 a família de Moore anunciou a sua morte, aos 89 anos, após "uma breve, mas corajosa batalha contra o cancro".

Um avião quebrou a barreia do som pela primeira vez há setenta anos

Bell X-1, originalmente designado como XS-1 - é um avião supersónico experimental, construído pela Bell Aircraft Corporation para a Força Aérea dos Estados Unidos, em 1947, e que se tornou o primeiro avião a superar a velocidade do som.

(...)

A 14 de outubro de 1947 tornou-se o primeiro avião a superar a velocidade do som, pilotado pelo capitão da Força Aérea dos Estados Unidos Charles "Chuck" Yeager. Neste voo, o número 50 do X-1, foi atingido Mach 1,06.
O X-1 era lançado de um bombardeiro B-29 modificado. Após a separação, eram acionados motores de foguete (Reaction Motors XLR-11, na primeira versão), capazes de levar a aeronave a um voo supersónico.
Chuck Yeager ao lado do X-1 batizado Glamorous Glennis, em homenagem à sua esposa, Glennis Faye Dickhouse


Charles Elwood "Chuck" Yeager (Myra, 13 de fevereiro de 1923) é um ás da aviação norte-americano, conhecido por ser a primeira pessoa a "quebrar" a barreira do som. Yeager alistou-se na Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) em 1941, então com dezoito anos de idade. Trabalhou como mecânico de aeronaves e piloto antes de seguir para a Europa na Segunda Guerra Mundial. Ao retornar, entrou para a escola de pilotos de testes, onde logo mostrou a sua qualidade como piloto, sendo selecionado dentre 125 pilotos para voar no X-1. Em 14 de outubro de 1947, Yeager quebra a barreira do som acima da cidade de Victorville, Califórnia. Durante os anos 50, Yeager voou em muitos aviões de teste da USAF e investigou vários acidentes. Em 1960 ele foi apontado como diretor da escola espacial da base de Edwards.
No filme americano "Os Eleitos" (1983), o ator Sam Shepard faz o papel de Yeager.

Há cinco anos um salto em paraquedas bateu a barreira do som

Felix Baumgartner (Salzburgo, 20 de abril de 1969) é um paraquedista e base jumper austríaco.
No dia 14 de outubro de 2012, ele fez o salto de mais elevada altitude de todos os tempos (39.000 metros), batendo o recorde estabelecido em 1960 por Joseph Kittinger.
  
O salto e a quebra da barreira do som
Após ser adiado por 2 vezes (primeiramente foi marcado para o dia 09/10 e depois para 12/10) devido ao mau tempo, Felix saltou no dia 14 de outubro de 2012 de uma cápsula levada por um balão à estratosfera por volta das 15.05 horas (hora local de Roswell - USA). A subida demorou duas horas e trinta minutos.
Para saltar, ele teve de respirar oxigénio puro para eliminar o azoto do seu sangue, que poderia se expandir em alturas elevadas e com isso ameaçar sua saúde.
Com o sucesso do salto, o austríaco afirmou que quer “inspirar a próxima geração”. “Quero ajudar quem quiser vir e quebrar meu recorde”, contou ele.
  
Prémios e recordes
  • Ele detém o recorde mundial do mais baixo salto de base jump, do mundo, após saltar de uma das mãos do Cristo Redentor.
  • Primeira pessoa a cruzar o Canal da Mancha em queda livre, vestindo apenas um wingsuit.
  • Primeira pessoa a romper a barreira do som em queda livre (atingiu a velocidade de 373 m/s), deu o salto mais alto de todos os tempos e o pulo de paraquedas mais alto.
  • A transmissão ao vivo do seu salto da estratosfera tornou-se o vídeo ao vivo com maior número de visualizações simultâneas: 8 milhões.

Éamon de Valera nasceu há 135 anos

Éamon de Valera (nascido Edward George de Valera; em gaélico, Éamon de Bhailéara; Nova York, 14 de outubro de 1882 - Dublin, 29 de agosto de 1975) foi uma das figuras políticas dominantes do século XX, na Irlanda. Entre 1917 e 1973 ocupou vários cargos públicos proeminentes, servindo várias vezes como Chefe de Estado e governo. De Valera foi um dos líderes na luta contra o Reino Unido pela independência da Irlanda e um dos responsáveis pela criação da atual Constituição da Irlanda.

Bing Crosby morreu há quarenta anos...

Bing Crosby (Tacoma, Washington, 3 de maio de 1903 - Madrid, Espanha, 14 de outubro de 1977) foi um cantor e ator norte-americano. Considerado um dos maiores cantores populares do século XX, morreu vítima de um ataque cardíaco enquanto jogava golfe.

Nascido Harry Lillis Crosby, o nome de Bing foi decidido por ele mesmo, inspirado na personagem Bingo. Abandonou a carreira de Direito para tocar bateria e cantar. Montou um trio e percorreu os Estados Unidos, de uma costa a outra, no final da década de 20.
Em 1930 apareceu pela primeira vez no cinema participando no filme "King of Jazz". A sua primeira gravação a solo foi logo depois, em 1931, com "I Surrender Dear". A partir daí assinou contrato com rádios e gravou mais de 300 músicas até ao final da década de 50, transformando-se no cantor mais popular dos Estados Unidos nas décadas de 30 e 40.
No cinema, Bing Crosby formou uma famosa dupla cómica com Bob Hope nos anos 40. Brilhou em "O Bom Pastor", que lhe deu o Óscar de melhor ator em 1944, "Os Sinos de Santa Maria", "A Caminho do Rio", "Anjos e Piratas", "Natal Branco", "Amar é Sofrer", que lhe valeu outras nomeações para o prémio em 1954, "High Society", "Dizem que é Amor", "Robin Hood de Chicago" e "A Última Diligência".
Bing imortalizou a canção "White Christmas" e a sua voz transformou-se em sinónimo de Natal. Casou duas vezes e teve sete filhos, três deles com a também atriz Kathryn Grant, a sua segunda esposa.
 
 

sexta-feira, outubro 13, 2017

Al Martino morreu há oito anos

Al Martino (Filadélfia, Pensilvânia, 7 de outubro de 1927 – Springfield, 13 de outubro de 2009) foi um cantor e ator norte-americano.
No cinema interpretou Johnny Fontane, personagem que teria sido inspirado no cantor Frank Sinatra, no filme O Padrinho, de 1972.
Em 1993, gravou um disco produzido pelo músico e produtor alemão Dieter Bohlen (ex-Modern Talking), chamado "The Voice To Your Heart".
O cantor americano morreu aos 82 anos, em Springfield, Filadélfia, na mesma casa em que passou a infância.


Porque hoje é sexta-feira 13...

A 13 de outubro de 1307 a Ordem do Templo é acusada de traição à Igreja, pelo Papa Clemente V, sob pressão do Rei da França Filipe IV, o Belo, mandando para a prisão os seus membros, nomeadamente o seu grão-mestre. Diz-se que este evento deu origem à superstição do azar numa sexta-feira 13.

Sammy Hagar - 70 anos

Samuel Roy Hagar (Salinas, Condado de Monterey, 13 de outubro de 1947) é um compositor, vocalista e guitarrista de rock dos Estados Unidos conhecido por ter sido integrante das bandas Van Halen e Montrose. Em 12 de março de 2007, Hagar foi introduzido no Hall da Fama do Rock and Roll como membro dos Van Halen. O seu estilo musical é uma mescla de hard rock e heavy metal.




Kiko, o vocalista dos Roupa Nova, faz hoje 65 anos

Eurico Pereira da Silva Filho (Rio de Janeiro, 13 de outubro de 1952), ou Kiko, é um guitarrista brasileiro, vocalista e membro do grupo Roupa Nova.


O Milagre do Sol foi há um século

As pessoas presentes na Cova da Iria, em Fátima, a 13 de outubro de 1917, observam o milagre do Sol

O Milagre do Sol foi um acontecimento testemunhado por cerca de 70 mil pessoas em 13 de outubro de 1917 no terreno da Cova da Iria, perto de Fátima, em Portugal. As estimativas do tamanho da multidão variam de "trinta a quarenta mil" por Avelino de Almeida, escrevendo para o jornal português O Século, a cem mil, segundo estimativa de José de Almeida Garrett, professor de ciências naturais na Universidade de Coimbra.
O evento foi oficialmente aceite como um milagre pela Igreja Católica em 13 de outubro de 1930. Em 13 de outubro de 1951, o cardeal Tedeschini afirma que, em 30 de outubro, 31 de outubro e 1 de novembro e 8 de novembro, o Papa Pio XII presenciou um milagre semelhante nos jardins do Vaticano.
Vista geral da multidão presente na Cova da Iria, em Fátima, a 13 de outubro de 1917
Os três pastorinhos de Fátima haviam relatado que, na aparição de 13 de maio, a Virgem Maria tinha-lhes prometido um milagre para o dia 13 de outubro, na Cova da Iria, "de modo que todos pudessem acreditar" nas Suas aparições.
De acordo com muitas indicações das testemunhas, por exemplo o avô materno de Fátima Magalhães, entre muitas outras, após uma chuva torrencial, as nuvens dissiparam-se no firmamento e o Sol apareceu como um disco opaco, girando no céu. Algumas afirmaram que não se tratava do Sol, mas de um disco em proporções solares, semelhante à Lua. Disse-se ser observável significativamente menos brilhante do que o normal, acompanhado de luzes multicoloridas, que se reflectiam na paisagem, nas pessoas e nas nuvens circunvizinhas. Foi relatado que o pretenso Sol se teria movido com um padrão de zigue-zagues, assustando muitos daqueles que o presenciaram, que pensaram ser o fim do mundo. Muitas testemunhas relataram que a terra e as roupas previamente molhadas ficaram completamente secas num curto intervalo de tempo e, também relataram curas inexplicáveis de paralíticos e cegos, e outras doenças não explícitas, em vários casos comprovadas também por testemunhos de médicos.
De acordo com relatórios das testemunhas, o Milagre do Sol durou aproximadamente dez minutos. As três crianças relataram terem observado a Sagrada Família (São José, a Virgem Maria e o Menino Jesus), depois Jesus com Nossa Senhora das Dores, e, por fim, Nossa Senhora do Carmo abençoando a multidão a partir do firmamento

Margareth Menezes - 55 anos

Margareth conquistou dois troféus Caymmi, dois troféus Imprensa, quatro troféus Dodô e Osmar, além de ser nomeações para o GRAMMY Awards e GRAMMY Latino. Conhecida por interpretar a canção "Dandalunda", a cantora soma 21 turnês mundiais, e é considerada pelo jornal norte-americano Los Angeles Times como a "Aretha Franklin brasileira".
Ainda pequena, Margareth, começou a cantar no coral da igreja local e, após conhecer Silas Henrique inicia a sua carreira artísticas, inicialmente como atriz, ganhando em 1985, o prémio de "melhor intérprete", em "Banho de Luz". Posteriormente, a cantora começou a se envolver com a música, apresentando-se em bares da cidade, até que é ovacionada por um público de 1.500 pessoas pessoas, ao lado da Orquestra do maestro Vivaldo da Conceição. Em 1987, grava o seu primeiro single, lançado como LP, ao lado de Djalma de Oliveira, "Faraó (Divindade do Egito)", vendendo mais de 100 mil cópias. Após isso, Menezes deu início a sua carreira bem-sucedida, lançando catorze álbuns, sendo que dois desses, Ellegibô e Kindala, alcançaram o topo da Billboard World Albums, enquanto Pra Você e Brasileira Ao Vivo: Uma Homenagem Ao Samba-Reggae, receberam nomeações para o Grammy Latino e Grammy Awards, respectivamente.
Menezes lançou recentemente Naturalmente Acústico, álbum que mostra um lado mais pop da cantora. Ela ainda lidera o movimento "Afropop Brasileiro", que visa preservar e promover a cultura afro-brasileira, e criou a "Fábrica Cultural", uma organização não-governamental que ajuda crianças e adolescentes carenciados.